O conceito yorubá de doença mental (were) éintrigante. Os yorubanos acreditam que as doenças mentais podem ser de trêstipos diferentes: 'Were' is classifiedinto three categories – 'wereas irã (hereditárias: herdadasgeneticamente), as amutorunwa(sobrenaturais: causadas pela ira das divindades ou por feitiçarias) e as afise(naturais: originadas por acidentes, aflições ou traumas).

Segundo o conceito yorubá, seis fatores quepodem levar à doença mental: Forinstance, Ogedengbe (1986) in her study of two mental aisun (insônia), aiwo (restlessness), aije (inability to eat), aimu(inability to drink), aito (inability to (agitação), aije (incapacidade de comer), aimu (incapacidade para beber), aito (incapacidade de urinate), and aisu (inability todefecate) (Jegede 1994, 1996). urinar), e aisu (incapacidade para defecar). um processo de interaçãoentre essas variáveis, ​​em que uma atividade leva à outra. Mas um colapso dainteração levaria à desordem social, e isso é intensificado pela inquietação (aiwo), que os iorubás consideramcomo o principal de todas as doenças.”

A filosofia yorubá The Yoruba people have good knowledge of body anatomy.believethat human body is composed of several parts – ori (head), oju(eye), apaacredita que o corpo humano é composto por várioselementos, cada qual exercendo importantes e distintas tarefas (emboracomplementares) ao longo da vida; sendo as mais relevantes: ori (cabeça), oju (olho), apa (hand), ese(leg), eti (ear), imu (nose), enu (mouth), etc. (Jegede2000) and that (mão), ese(perna), eti (orelha), imu (nariz), enu (boca). Mas é o satisfatórioequilíbrio entre essas “peças” do corpo que garantem a boa saúde ao organismocom um todo.

O conceito yorubá de “saúde” decorre então daharmonia entre as partes do corpo humano. Porém, a parte mais importante detodas é Ori, por ser ela a responsável por coordenar as demais. Logo, se o Oriestá doente, frágil, ou desestabilizado, poderá danificar consequentemente osoutros elementos corporais que lhe estão subordinados.

Nesta perspectiva, se nosso fígado vai mal,significa que nossa cabeça nos levou a beber demais; ou se nosso estômagofunciona mal, possivelmente nossa cabeça nos levou a comer algo prejudicial; eassim sucessivamente.

Entre os yorubás, não havia nenhuminstrumento para diagnosticar as doenças. Os métodos tradicionais dediagnóstico são os de examinar a totalidade do man with reference to his biological, spiritual, psychological aswell as social homem com referência à sua biologia, a parte espiritual,psicológica, bem como as sociais.”

Historicamente, os tratamentos nas tribosyorubás cabiam aos babalossães (herbalistas), ou aos babalawôs (consultores doOráculo de Ifá).make-up” (Osunwole

Asdiscrepâncias entre as técnicas e a disputa pelo status social, criou umagrande rivalidade entre os babalawôs e os babalossães.

Masde fato, neste aspecto, os babalawôs eram mais requisitados. Afinal, a consultaao Oráculo funcionava como “instrumento de diagnóstico”.

Partindo-se do pressuposto de que após aescolha do destino os Seres Humanos são induzidos ao esquecimento, somenteatravés da adivinhação é possível obter dicas sobre Once in this world the only way for the individual, who isignorant of his"o Testemunhodo Destino" (Eleri ipin)divineplan to the inquirer through trained diviner (Payne 1992)..